Bloqueador de Selecao

segunda-feira, 27 de março de 2017

CARÊNCIA AFETIVA.



A carência afetiva é um mal que atinge todas as faixas etárias, culturas e classes sociais.  É pior que a gripe, que vem e vai embora, ou uma doença que mata de vez. É um mal que consome as pessoas devagarinho.
A indiferença da sociedade atual face aos problemas do mundo, faz com que as pessoas sintam-se sozinhas e carentes.  Preferimos fechar os olhos ao que se passa ao nosso redor (e mesmo fora dele) do que enfrentar a realidade da vida dos outros, dos seus problemas. Há cada vez mais pessoas solitárias enquanto a população cresce.
As pessoas têm sede de amor. O problema é que raramente querem ser fonte. E nessa engrenagem há muita gente infeliz. Então corre-se de um lado para o outro, alguns tentam achar compensação a nível profissional, outros em religiões, crenças e seitas. 
A internet também faz parte desse mundo. Fecha-se aqui, procura-se amores, amizades e certezas de que alguma coisa ainda existe capaz de compensar a falta de afeto. E enganam-se. Engana-se os outros e a si mesmo. 
Quando Jesus andou na terra, tenho certeza que não precisava de nada. Ele era auto-suficiente. Apesar disso, viveu tudo: Ele andou, trabalhou, se entristeceu, chorou, sentiu fome, angústia, dor, morreu e ressurgiu. E vivendo tudo isso, amou. Amou até o fim, até pedir perdão para os que o crucificaram. E tudo o que Ele viveu, foi para nos mostrar o exemplo. De nada serviria se Ele tivesse pregado e não vivido as próprias palavras. Como nós. Mais que falar, precisamos viver.
O dia que as pessoas compreenderem que a solução está dentro delas mesmas, então o mundo terá uma chance de sair desse caos. Se você quer ser amado, ame! Quer receber um sorriso? Sorria! Quer receber e-mails? Mande! Quer carinho? Dê ternura até não agüentar mais. Quer atenção? Seja atencioso!
Talvez não funcione imediatamente. É um remédio que precisa de um tempo para começar a fazer efeito. Mas, quando você estiver curado interiormente, vai ser outra pessoa, de maneira tal que será impossível não receber de volta a felicidade que espalhou.  Temos a mania de querer comprar tudo. Mas muitas coisas da vida precisamos plantar, cuidar e colher com nossas próprias mãos. Nem tudo se vende e se compra e afeto faz parte dessas raras coisas.
Não amamos a Deus por que Ele nos amou primeiro? Então, vivamos de maneira que possamos ser os primeiros a dar afeto, amor, atenção. Sejamos os antídotos do ódio e da indiferença. Tudo o que virá após, será compensação. Estaremos contribuindo assim para uma sociedade mais humana, mais justa e mais equilibrada.


(Letícia Thompson)

85 comentários:

  1. Boa noite, querida Vera!
    Sabe, as pessoas andam contabilizando demais o que recebe e o que dá... é pena!
    O jeito é ir comentando, mandando e-mail, diversass mensagens pela rede... e, se receber retorno, ótimo!
    Fiquemos na paz!
    Vc escolhe muito bem suas menssagens e de otimismo...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rosélia!
      A reciprocidade deve ser espontanea e na medida da disponibilidade de cada um. No meu caso, estou apenas retribuindo visitas, pois é o que posso fazer por ora. Recebo feliz quem chega e não lamento por quem não vem, já que não estou ativa na interação. O importante para mim, na minha fase atual, é continuar publicando textos que possam fazer bem a quem os lê, independente de qualquer retorno.
      Como você diz, "fiquemos em paz"!
      Feliz semana!
      Beijo.

      Excluir
  2. Creio piamente nisso. E na lei do retorno. Muito antes de frequentar a Igreja e de conhecer os ensinamentos de Cristo, já minha avó me tinha ensinado, para tratar os outros como gostaria que eles me tratassem.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elvira,
      Se todos adotassem esse ensinamento como norma ("tratar os outros como gostaria que eles me tratassem"), com certeza, o mundo seria um lugar aprazível para se viver, pois haveria mais paz e maior fraternidade.
      Vi que você iniciou um conto novo. Vou lá conferir.
      Feliz semana!
      Beijo.

      Excluir
  3. Olá Vera! Após a leitura desse belo texto, lembrei-me que, quando criança, incentivado e ajudado pelo vizinho, fiz um badoque para atirar pedras nos pássaros, nas lagartixas, etc. Quando cheguei em casa, sorrindo, satisfeito, com a bela obra na mão, minha querida e saudosa mãe perguntou:

    -O que é isso? Eu então respondi.
    -É um badoque! Ela perguntou:
    -E você quer isso pra quê?
    -Pra atirar pedra no passarinho, lagartixa e outros bichos.
    -E você gostaria que alguém atirasse pedra em você? Perguntou ela.
    -Não mãezinha, respondi.
    -Então você vai quebrar isso agora, na minha frente!
    -Mas mãezinha! Retruquei.
    -Olhe meu filho, os pássaros, assim como a gente, também são filhos de DEUS e, com certeza, ELE não vai gostar se você fizer isso. Aquilo que a gente não quer pra gente, a gente não dá aos outros.

    Uma grande lição que jamais esqueci.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São lições assim que fazem de nós adultos humanos, capazes de nos colocar no lugar do outro. Também aprendi esta lição desde cedo.
      Obrigada!
      Feliz semana!
      Abraço.


      Excluir
  4. Somos carentes por natureza. Uns mais outros menos. Que belo texto, Vera. É uma lição importante essa. Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Sérgio!
      É sempre um prazer vê-lo por aqui.
      Abraço.


      Excluir
  5. Respostas
    1. Obrigada, Elisabete!
      Boa semana também para você.
      Beijo.

      Excluir
  6. Belíssimo texto. Quem de nós não tem carências afectivas? Sentimos sempre, de alguma forma.Uns mais que outros. Podem é manifestar-se de outra forma.

    Parabéns.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela costumeira atenção, Cidália!
      Beijo.

      Excluir
  7. Lindo texto e redado...Sejamos atenciosos...O universo nos devolve tudo! Beleza de mensagem! bjs, linda semana,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata pelo carinho de sempre, Chica!
      Beijo.

      Excluir
  8. Olá, Vera
    Mais um belíssimo texto de Letícia Thompson, autora que muito admiro.
    A lei do retorno é um facto comprovado, por isso se diz que gentileza gera gentileza, etc., etc.
    E quando se fala em carência... lembro-me sempre daqueles pobres velhos abandonados numa cama de hospital ou nos lares de velhos, que os familiares simplesmente esquecem... Essa é a maior carência de todas!
    Devemos tentar espalhar amor à nossa volta, para que ele nunca nos falte...

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante que carência também me remete, por princípio, às pessoas em abandono e desprovidas de amparo e de carinho. Sem dúvida, essa é a mais triste das carências.
      Obrigada, Mariazita!
      Felizes dias!
      Beijo.

      Excluir
  9. Verinha querida

    Uma grande verdade essa sua reflexão.
    Vivemos em um mundo de pessoas doentes que comem migalhas nas relações afetivas(aceitam qualquer coisa).
    Infelizmente a humanidade caminha para o individualismo e egocentrismo.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  10. VERA: Excelente do seu artigo. Acho que estou com esta "carência afetiva". É bem cruel, esta sensação. Porém, não sou de aceitar tudo que vêm. Creio que há a auto estima. Temos que aceitar pessoas verdadeiras e carismáticas nas nossas vidas. Amiga, tenha uma semana de paz.Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela participação, Maria Adeladia!
      Beijo.

      Excluir
  11. São verdades que reconhecemos, mas que tomam outra dimensão,
    quando são analisados pelo espírito perspicaz, atualizado e
    notavelmente lúcido de Letícia Thompson.
    Acabei de viver um facto lastimável... Na impossibilidade de
    comentar blogues, deixei de receber alguns comentários...
    As pessoas nem pensam que as pessoas não são máquinas e estão
    sujeitas a estarem doentes ou com problemas...
    Apreciei a leitura e agradeço a divulgação.
    Dias de grande tranquilidade e contentamento,
    Abraço, Vera.
    ~~~~~~~~~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo bem esta questão acerca da ausência de visitas e comentários quando não se está em condições de retribuir ou visitar. Parece-me que a lei da blogosfera é a da obrigatoriedade da interação. Há muito interesse no número de comentários e se você não comenta também não recebe visitas, a não ser daqueles amigos mais chegados e que lhe dedicam uma afeição especial. Tenho alguns contatos que visitam, não somente o meu blog, mas também de outros amigos, porque têm prazer de ler as postagens e fazem questão de marcar sua presença, mas é exceção. Por isso mesmo, deixei claro aqui que estou somente retribuindo visitas. Não estou fazendo visitas espontâneas por absoluta falta de tempo, mas faço questão de prestigiar aqueles que aqui chegam espontaneamente. Muitos amigos deixaram de aparecer, mas não perdi o carinho ou consideração pelos mesmos, pois entendo que a interação ativa é importante. Não fique chateada quando você perder comentários porque está impossibilitada de interagir. Aqueles que gostam de suas publicações e que a consideram estarão sempre presentes, na medida da possibilidade de cada um.
      Gosto muito de sua presença por aqui, pois seus comentários são muito bem elaborados e condizentes com o foco das postagens.
      Ótimos dias!
      Beijo.

      Excluir
  12. Mais uma partilha fabulosa, por aqui, Vera!...
    Com um texto incrível, e no qual me revejo em muitas das suas passagens, por concordar na integra... e já praticar algumas das suas valiosas dicas...
    Um post brilhante, como sempre!
    Beijinho! Continuação de uma feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho e pelas palavras sempre amáveis, Ana!
      Que sua semana também continue abençoada e feliz!
      Beijo.

      Excluir
  13. Belíssima mensagem!...Concordo plenamente, dentro de nós encontraremos a felicidade. É dando que se recebe.
    Um abraço. Élys.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela atenção de sempre, Élys!
      Abraço.

      Excluir
  14. A necessidade de amar e ser amado é inerente ao ser humano...todos almejamos sentir a grandeza do sentimento do amor... a carência talvez seja oriunda do que a sociedade conceitua como amor...
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga,
      Penso que a carência possui diversas origens.
      No caso, acredito que a autora do texto esteja chamando a atenção para a carência cavada pelo próprio ser humano, através de atitudes de indiferença para com o próximo, o que gera um retorno à altura. Como ela ressalta, "as pessoas têm sede de amor. O problema é que raramente querem ser fonte".
      Obrigada!
      Beijo.

      Excluir
  15. Bem reflexivo. Contabilizar ações não se toca no coração. É melhor fazer porque se quer sem esperar trocas. É um aprendizado difícil, mas necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Norma,
      A lei do retorno nos garante a devolução daquilo que semeamos. Afeto, amor, atenção e carinho, espalhados espontaneamente, com certeza gerarão um retorno capaz de afastar a desconfortante carência afetiva, ou mesmo evitar que ela nos acometa.
      E, sim, trata-se de um aprendizado difícil este de dar sem esperar retorno.
      Obrigada!
      Beijo.

      Excluir
  16. Hello Vera,
    wow .... very beautifully you wrote it.
    And truthfully.
    Hopefully everything turns soon as it should be.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
  17. UFFFFF TREMENDO MENSAJE!!!! GRACIAS POR COMPARTIRLO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  18. Ohhh, que texto bem escrito, Verinha! Carência... como existe! Verdade, estamos todos à procura de afetos, mas a coisa está escassa, parece que esgotou a oferta. Quando ela diz, quer amor, dê amor; quer carinho? Dê carinho! Quer e-mail (rss) mande e-mail...Porém tem pessoas que como não sabem dar, brigam, se matam, culpam os outros, são sacos sem fundo! Pessoa carente é complicado. Belíssimo texto, como é atual. Dá para aplicar a oração de São Francisco... É dando que se recebe!
    Beijo, Verinha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Tais!
      Você gosta de mandar e-mails, né amiga?
      Curto os que você me manda, mas nunca mencionei isto para você. Esta é a oportunidade de você ficar sabendo. Nem pensei em respondê-los com algum comentário por tratar-se de links. Fui mal, né? rsrs.
      Excelente final de semana!
      Beijo.

      Excluir
  19. Olá, Vera!
    Que texto ótimo.
    Existe muita carência sim, mas também existe muita gente que não se doa, não realiza algo apenas pelo prazer em fazer o bem.
    Enquanto ia lendo, lembrei de uma frase que acho, cabe bem aqui.
    "Vivo para florescer outros jardins e,sem perceber, o meu se abarrota de rosas".( Pablo Neruda)
    Eu me esforço muito, em pelo menos lançar sementes.
    Um abraço com carinho,
    Sônia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou, Sônia!
      Linda a frase de Pablo Neruda, que, de fato, cai como uma luva para o tema.
      Obrigada!
      Ótimo final de semana!
      Beijo.

      Excluir
  20. Hello Vera,
    Thanks for your kind comments.
    I wish you a nice weekend.
    I am sending greetings and hugs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thank you, dear Pantherka!
      I also wish you an excellent weekend.
      Kiss.

      Excluir
  21. Olá querida Vera, está tudo bem?
    Que texto intuitivo, maravilhoso, verdadeiro: estamos cada vez mais carentes e solitários, mesmo cercados por tanta tecnologia...

    Veja só, Jesus viveu em uma época sem nenhum recurso e conseguiu passar toda a mensagem de amor ao próximo e no mundo inteiro...
    Hoje, mesmo reduzindo as distâncias pela tecnologia, todos se sentem sós... Até mesmo em casa em reunião familiar...

    Sabe amiga, acho que o que falta é reciprocidade... Tantas vezes insistimos com alguém, a procuramos para saber o que está acontecendo em sua ausência e ela não se manifesta...
    Mas como você disse, não podemos desanimar e temos que insistir não é? rsrs
    A melhor coisa é poder sorrir quando todos estão sisudos, isso contagia!!

    Querida, vim também agradecer à sua generosidade tão peculiar, mesmo com seu amigos virtuais!
    Estou visitando os meus amigos queridos do blog e você está nos meus blogs preferidos e indicados!! Hoje bateu uma saudade e o coração ficou apertadinho e então vim aqui te agradecer!! rsrs
    Vera, saiba que eu criei uma página estática lá no meu cantinho com os BLOGS QUE INDICO e outra com os 100 TOP COMENTARISTAS e você é a QUARTA TOP COMENTARISTA!!! Isso é maravilhoso!!!
    AGRADEÇO SUA COMPANHIA nestes anos todos e saiba que és uma amiga muito importante e também bastante dedicada!!
    Você é recíproca, amorosa e verdadeira e como é difícil encontrar alguém assim amiga... :)))

    Desejo um maravilhoso final de semana! a ti e toda a sua família!!
    Beijinhos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, amiga, você é tão delicada, carinhosa e gentil!
      Fico imensamente grata com tanto carinho, mas observo que você é amável com todos os seus amigos, o que é cativante.
      A reciprocidade é linda e a falta dela devora muitos sentimentos bonitos.
      Então eu sou a QUARTA TOP COMENTARISTA do seu belo espaço? Que maravilha! Gostaria de estar por lá a cada postagem, pois seus artigos são excelentes. Infelizmente, porém, não tenho tido oportunidade de visitar os blogs amigos e, em especial, aqueles que me encantam. Contudo, não deixo de retribuir o carinho daqueles que passam por aqui.
      Obrigada pelas palavras amáveis, lindoka! Você é uma querida.
      Maravilhoso final de semana também para você!
      Beijão.

      Excluir
  22. Verinha linda que maravilha ler esse texto
    concordo sim, estamos sempre carente de algo
    eu adorei...e adorei voltar aqui tem bolo la no
    cantinho venha me ver
    Bom final de semana
    Bjusss
    └──●► *Rita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rita,
      Fui lá atrás do bolo-rsrs. Que delícia de receita, hein? Adoro bolo de fubá e com laranja deve ser ainda mais saboroso. Registrei a dica.
      Obrigada pela visita!
      Ótimo final de semana!
      Beijo.

      Excluir
  23. OI VERINHA!
    UM TEXTO IMPORTANTE NA MEDIDA EM QUE NOS ALERTA PARA A IMPORTÂNCIA DOS RELACIONAMENTOS AFETIVOS E DO QUANTO ESTÃO FICANDO RAROS.
    ABRÇS, AMIGA.
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lani!
      É sempre um prazer vê-la por aqui.
      Ótimo final de semana!
      Beijo.

      Excluir
  24. Querida amiga Vera... Que texto oportuno... O ser humano está cada dia mais egoísta... Quer o melhor mas, muitas vezes, não oferece o seu melhor... Precisamos tratar as pessoas do jeito que desejamos ser tratados... Oferecer amor e outros bons sentimentos... A gentileza está sendo deixada de lado e, mesmo assim, queremos tratamento cordial... Que o ser humano compreenda que a "revolução" deve começar dentro de cada um... Que ao plantar uma sementinha do bem, mesmo que demore, o bem florescerá... Quem sabe se assim nos comportarmos, em um futuro nem tão distante, nossos filhos colherão as flores dos bons sentimentos que espalhamos... Feliz final de semana... É sempre um prazer passar no seu cantinho... Feliz viver...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Aline,
      Sua colocação está perfeita.
      Há muitas formas de se preencher a carência afetiva e, entre elas, está o amar-se e valorizar-se, fazendo o mesmo para com as pessoas que nos cercam. Como você ressalta, "o ser humano deseja o melhor, mas não oferece o seu melhor".
      "Sejamos os antídotos da indiferença", conforme salienta a autora do texto.
      Obrigada, amiga!
      Excelente final de semana!
      Beijo.

      Excluir
  25. Qualquer tipo de carência é uma coisa má, mas a afectiva é uma das piores.
    Magnífico texto, gostei de ler.
    Bom fim de semana, amiga Vera Lúcia.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jaime!
      Bom final de semana também para você.
      Abraço.

      Excluir
  26. Querida Vera,
    Penso que existem pessoas carentes que apenas procuram quem as ame, mas também há pessoas carentes que nos sugam a energia. Se das primeiras tento dar o meu afecto das outras fujo, pois já não tenho mais paciência, fiz-me entender ? :)
    Agora retribuir gentilezas, simpatias e emails está ao nosso alcance e gera prazer mútuo, não é verdade ? :)

    Mais um post que nos faz pensar e comentar com prazer.

    Um beijinho com amizade

    O Toque do coração


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida FÊ,
      Conheço pessoas assim, cuja carência é vampirizante. Muito triste! É mesmo difícil conviver com tais pessoas, mesmo quando se trata de pessoas mais ligadas.
      Quanto à retribuição de emails, fico sempre a dever-rsrs. Dou minha mão à palmatória-rsrs. Mas nem por isso deixo de retribuir gentilezas por outros meios. Passo sempre correndo pela minha caixa de email. Vejo as urgências e deixo os demais para ler em outra ocasião. Aí, quando vou ler, já caducaram-rsrs.
      Obrigada, amiga!
      Beijão.

      Excluir
  27. Excelente escolha, uma sábia reflexão.
    Lá diz o velho ditado que amor com amor se paga.
    Bom domingo
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Maria!
      Bom restinho de domingo e uma excelente semana!
      Beijo.

      Excluir
  28. Hello Vera,
    Thanks very much for the nice comments.
    I wish you a wonderful week.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hello Pantherka!
      Great week for you, too.
      Good evening!
      Kiss.

      Excluir
  29. Respostas
    1. Grazie, Giancarlo!
      Settimana felice per te!

      Excluir
  30. Olá Vera,
    Excelente texto
    Com os meus cumprimentos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Fernando!
      Ótima semana!
      Abraço.

      Excluir
  31. Olá Vera! Passando para te cumprimentar e desejar uma ótima semana para ti e para os teus.

    Abraços,

    Furtado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Furtado!
      Ótima semana também para você e família.
      Abraço.

      Excluir
  32. Um texto muito bem escolhido e de leitura sempre oportuna. Todos querem receber, mas para obter algo é preciso, também, dar. E dar sem esperar nada, porque não se trata de troca ou de compra. Os resultados chegam porque sorrisos e sentimentos gratuitamente oferecidos não passam em branco. A imagem é linda. Bjs.

    ResponderExcluir
  33. Geralmente as pessoas não dá nada sem esperar nada em troca,há uma desconfiança no ar, uma animosidade, estão levantando altos muros, cerca as eletrificadas e pitbus, imagem e semelhança do dono, armadas até os dentes. Anestesiado em relação ao sofrimento do próximo, muita falta de empatia, dizendo que seu amigo é o dinheiro, amor só de pai e mãe.Dai pra solidão é um pulo, fruto de tanto isolamento, comportamento antissocial, arrogância. "Quem planta vento, colhe tempestade". Simpatia, não é uma coisa gratuita. Vera, sempre de alto nível tuas postagens, edificantes, pondo-nos a pensar, refletir. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com razão, Fábio!
      Parece que estamos na era do egoísmo. Precisamos olhar para o próximo com atenção e carinho e aprender a sermos mais desapegados da troca. Apesar da máxima cristã "é dando que se recebe", como de fato assim é, como consequência da lei do retorno, dar gratuitamente, sem olhar fixo no retorno, é prova de evolução do ser humano.
      Simpatia é conquista.
      Obrigada!
      Semana feliz!
      Abraço.

      Excluir
  34. Mais uma bela escolha, Vera; mais um casamento perfeito, entre imagem e texto. E uma verdade maior se destaca do texto, a meu ver: é em nós, que está a cura para esse mal. É preciso que aprendamos a amar-nos, para curarmos essa carência afetiva que existe em todos nós. Boa semana, amiga!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, Árabe!
      Obrigada, amigo!
      Abraço.

      Excluir
  35. Hello Vera,
    Have a nice evening.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
  36. Querida Vera,

    Excelente texto que aborda no sentido informativo, mas
    questiona e aponta escolhas num caminho de cada um.
    A carência afetiva pode evoluir para um quadro crônico
    e sintomático numa necessidade às vezes, de ajuda profissional.
    O processo da afetividade poderia correr como um rio na qualidade
    de ser caminho de crescimento e partilhas na evolução humana.
    Acredito na honestidade dos afetos e sintonia genuína como
    caminho...
    Vera, este seu espaço é belíssimo e um portal na contribuição
    desta evolução humana, sempre estou a ler, apreciando
    muito e nem sempre a comentar quanto gostaria, devido a este
    correr da vida na parte das obrigações de trabalho, mas sei que
    você compreende isso.
    Você e sua irmã são duas pessoas que moram no meu coração
    nesta sintonia genuína.
    Beijo para você e para Marilene!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Suzete,
      Agradeço-lhe pelo acréscimo ao foco da postagem bem como pelo seu carinho e palavras sempre amáveis, que traduzem a sua delicadeza.
      De fato, as obrigações do cotidiano nos envolvem sobremaneira e nem sempre temos disponibilidade para visitar e/ou comentar nos blogues amigos conforme desejaríamos. Entendo perfeitamente, amiga.
      Também gostamos muito de você.
      Beijo.

      Excluir
  37. Hello Vera,
    Thanks for your lovely comments that always make me happy.
    I wish you a wonderful Friday and happy weekend.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. It is a pleasure to enjoy the beautiful creations posted in your space.
      Also, I wish you a great Friday and a happy weekend!
      Kiss.

      Excluir
  38. Beleza de postagem, Veralinda. "Ela vem e vai embora". É assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho da presença, Márcio!
      É sempre um prazer vê-lo por aqui.
      Abraço.

      Excluir
  39. Voltei para ver as novidades.
    Mas aproveito para lhe desejar um bom fim de semana, amiga Vera Lúcia.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jaime,
      Sem novidades por ora, pois estou de "molho" há uma semana em virtude de um resfriado/virose. Ninguém merece!!!
      Bom final de semana também para você!
      Obrigada!
      Abraço.

      Excluir
  40. Essa carência afetiva,
    É um bem e não é um mal
    Pois é próprio do animal
    Humano, ver alma viva

    Que viva a vida precisa
    Em grupo, porque afinal
    Se eu sou um ser racional
    Tenho um instinto que avisa

    Quando o outro sente bem
    Que o amor é algo que vem
    Da alma qual certo ente

    Que somos nós, sim, porém
    A alma vive no além
    Da nossa razão carente.

    Grande abraço. Boa Páscoa que se aproxima. Cordialmente. Laerte.

    ResponderExcluir
  41. Essa carência afetiva,
    É um bem e não é um mal
    Pois é próprio do animal
    Humano, ver alma viva

    Que viva a vida precisa
    Em grupo, porque afinal
    Se eu sou um ser racional
    Tenho um instinto que avisa

    Quando o outro sente bem
    Que o amor é algo que vem
    Da alma qual certo ente

    Que somos nós, sim, porém
    A alma vive no além
    Da nossa razão carente.

    Grande abraço. Boa Páscoa que se aproxima. Cordialmente. Laerte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um belo soneto, Laerte!
      Obrigada!
      Feliz Páscoa também para você e família!
      Abraço.

      Excluir
  42. Respostas
    1. Grazie, Giancarlo!
      Buona Domenica anche a te.

      Excluir
  43. Hello Vera,
    Thanks again for the nice comment.
    I wish you a wonderful Friday and happy Easter.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thank you for your usual attention and affection, Pantherka!
      Great weekend, with a very happy Easter!
      Kiss.

      Excluir

OBRIGADA PELA VISITA E COMENTÁRIO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...