Bloqueador de Selecao

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

NÃO IGNORE A IMPERMANÊNCIA.




Não ignore a impermanência. O que quer que pareça ser prioritário em sua vida é, na realidade, bastante temporário. Vem e vai. Nada é confiável.
Nascemos sós e nus. Conforme a nossa vida se desenrola, passamos por todas as situações possíveis: necessitar, possuir, perder, sofrer, chorar, tentar… mas depois morremos, e morremos sós. Não fará a menor diferença se fomos ricos ou pobres, conhecidos ou desconhecidos. A morte é o grande nivelador.
O nosso relacionamento com os outros é como o encontro casual de dois estranhos em um estacionamento. Olham um para o outro, sorriem e isso é tudo o que acontece entre eles. Vão embora e nunca mais se vêem. Assim é a vida – apenas um momento, um encontro, uma passagem, e depois acaba.
Se você compreender isso, não há tempo para brigas. Não há tempo para discussões. Não há tempo para mágoas mútuas. Quer pense nisso em termos de humanidade, nações, comunidades ou indivíduos, não sobre tempo para mais nada a não ser apreciar verdadeiramente a breve interação que temos uns com os outros.
Em um sentido mundano, é melhor nos sentirmos satisfeitos e apreciarmos aquilo que já temos. O tempo é muito precioso. Não espere até estar morrendo para compreender a sua natureza espiritual.
Pense no sofrimento dos outros e gere compaixão. 
Reduza o apego e a aversão. 
Pratique o bom coração em relação a todos os seres. 
Seja amoroso e compassivo, não importa o que os outros façam. 

Essa é a verdadeira espiritualidade. 
(Do Livro “Vida e morte no budismo tibetano”, por Chagdud Tulku Rinpoche).

54 comentários:

  1. Verdadeira mesmo a espiritualidade aqui sugerida! Lindos gestos para aprimorá-la! Adorei o texto e a imagem fala por si! Beleza! Ótima semana, tuuuuuuuuuuuudo de bom,! bjs, chica e obrigadão por tudo!

    ResponderExcluir
  2. Um belo texto minha amiga gostei de ler.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Linda amiga Vera, a Vida é efêmera por aqui, tenho essa sensibilidade de perceber, portanto só vale o que se vive nos momentos presentes.
    Cultivar o amor, o único sentimento que faz sentido em todas as vidas e também por "lá", onde continua sem nenhuma diferença, portanto vamos indo fazendo e dando o melhor que temos!
    Abraços apertados, amei ler aqui!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Vera

    Fantástico, este seu texto! Adorei

    Beijo e uma excelente semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Sem dúvida, Verinha, as sábias afirmações do texto nos colocam frente à verdades irrefutáveis.Revi, ao ler o 1º parágrafo, meus dias recentes, onde a impermanência se faz presente, me conduzindo a grandes reflexões e novas adaptações.
    Sigo com fé esperançada e certa de que nas palavras das linhas finais desse texto moram pérolas de sabedoria.

    Obrigada pela partilha, querida.
    Calu

    ResponderExcluir
  6. Um texto maravilhoso que é preciso ser lido e relido e guardado no coração. Uma grande verdade, creio. Agradeço, a oportunidade ter conhecido.
    Tenha uma linda semana.
    Élys.

    ResponderExcluir
  7. A verdadeira espiritualidade, só pode vir do coração, nunca pode estar presa aos bens materiais,
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  8. Subscrevo tudo. Um texto sábio que podia fazer parte de um manual de saber viver. Para crescermos e sermos melhores pessoas temos de perder todos os dias o nosso coração para o encontrar nas outras pessoas.

    Um beijo, Vera

    ResponderExcluir
  9. É bem verdade o que escreve!
    Boa semana

    ResponderExcluir
  10. Belíssima imagem, Vera!
    Nascemos nus e sós; o nosso primeiro grande acontecimento traumático, e independentemente de como a vida nos possa acontecer, morreremos também em solidão absoluta, mesmo que rodeados de gente.
    A vida é muito curta, e a sua brevidade deveria implicar de facto uma preocupação pela harmonia e uma rejeição da conflitualidade. E como texto bem afirma, não só entre indivíduos, mas entre comunidades e entre nações. Mas o mundo é uma zona de desconforto e guerra, um mundo em que a verdadeira espiritualidade está muito ausente.
    Boa semana, Vera!
    xx

    ResponderExcluir
  11. Hello Vera,
    It is very beautiful words.
    I wish you a nice week.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
  12. Durante esse tempo afastada dos blogs
    senti muitas saudades de todos que
    de alguma forma não deixou por um só dia meu blog sem nenhum comentário.
    Agradeço de todo coração pela fidelidade isso não tem preço
    uma amizade sem questionamento linda e silenciosa
    num carinho de apertar o coração.
    Hoje agradeço pelo apoio no silêncio das horas e dos tempos.
    Uma semana na paz e na luz de Jesus.
    Foi triste meu afastamento
    marcado por perdas e lagrimas doloridas,
    mas Deus nos da um dia recolhe para sua verdadeira Pátria.
    Um beijo carinhoso saudades sem Fim.
    Eva..

    ResponderExcluir
  13. TREMENDO MENSAJE!!! GRACIAS.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  14. Oi, Vera, nascemos nus , é verdade, e ao morrermos alguém nos vestirá, espero que com amor e carinho...penso que entre o nascer e o morrer existe a vida e ela nos proporcionará a grande experiência do contato com o outro e a possibilidade de aprimorar nossa alma com dons que a tornarão mais experiente...por mais efêmera ela sempre vale a pena.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Boa noite, Vera. Concordo que a vida é breve , que somos seres únicos, precisando de aperfeiçoamento, mas creio que as relações podem ser mais profundas, intensas, muito além de uma mera casualidade.
    A solidão pode ser interpretada de várias formas, vejo que o desenlace é individual, mas não significa que sejamos isola DF os nossos esse processo.
    Penso também que o desapego faz-se necessário se estiver causando algum mal para a pessoa e interferindo na vida alheia de algum modo.
    Guardar rancores não é bom, claro, mas temos de elevar o nosso espírito para conseguirmos lançar fora sentimentos ruins, mas dependendo do caso, não é fácil.
    Tenha um excelente mês de Novembro.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  16. Correção: Que sejamos isolados nesse processo.

    ResponderExcluir
  17. Correção: Que sejamos isolados nesse processo.

    ResponderExcluir
  18. A espiritualidade não tem sido cultivada e os exemplos disso estão por toda parte, o que não nos impede de nos voltarmos para o bem e para a harmonia, cientes de que é extremamente curta nossa passagem por essa vida. Ótimo texto e imagem muito bem escolhida. Bjs.

    ResponderExcluir
  19. Que bela lição esse texto, Vera. Muito apropriado vc ter selecionado para o blog. Li até duas vezes. Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  20. Lindo post, Vera! E dele me permito pinçar esta frase: "O tempo é muito precioso". É o único bem que não podemos repor, em nossa jornada. Obrigado, amiga; boa semana.

    ResponderExcluir
  21. Seu texto está muito em consonância com o que tenho buscado praticar e dito aos meus próximos. O vida enquanto a usufruímos é muito preciosa para cultivarmos o lado pernicioso do ser humano. bjs
    Linda a imagem.

    ResponderExcluir
  22. Oi Vera, boa tarde :)
    Não vale a pena, perder tempo
    odiando ninguém.
    Mesmo contra a nossa vontade,
    a interação com quem amamos,
    acaba, pois a morte não escolhe idade.
    Afinal, a vida é efêmera...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Que maravilhoso texto, Vera.
    Tudo o que o mundo precisa saber, de como ter uma boa espiritualidade!
    Amei!
    Beijo,
    Mariangela

    ResponderExcluir
  24. Uma bela e perfeita definição de espiritualidade e desta nossa passagem.
    Nascemos nus e voltamos assim, nos misturamos e igualamos o que em vida não foi possível por varias razões muitas incompreensíveis, mas faz parte da falha humana.
    Que a semana esteja bela e leve amiga.
    Carinhoso abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
  25. Um tremendo texto, Vera!
    E uma fabulosa partilha! Palavras para ler, reler e interiorizar... e não esquecer, no calor de cada momento... em que coisas demasiado pequeninas... nos fazem perder o nosso precioso tempo...
    Beijos
    Ana

    ResponderExcluir
  26. O que somos, como somos e porque corremos. Uma grande Lição de Sapiência que nos encaminha no sentido real da Vida.
    Se souber "escolher", terei a paz real... em vida.

    Beijo
    SOL

    ResponderExcluir
  27. Boa tarde Verinha!! Como vc está? Mais animadinha?

    Maravilhosa mensagem, linda lição!
    Nada é definitivo, o tempo é um mestre... quando menos esperamos as coisas mudam, as pessoas entram e saem de nossas vidas ;) Um verdadeiro aprendizado!

    Lindo e abençodo restinho de semana pra vc!!!
    Beijooos

    ResponderExcluir
  28. Querida Vera,

    Adorei este texto em especial, devido a minha identificação com
    a filosofia budista tibetana.
    O aprendizado sobre a impermanência nos aprofunda diante
    da necessidade de viver o presente (o"aqui e agora"), o desapego (diminuir os controles)
    e a amorosidade universal...
    Amei o texto e a imagem!
    Grata!
    Beijo e abraço de paz.

    ResponderExcluir
  29. Vera, minha linda, existem textos que nos chegam à mente e aos pouquinhos vão espalhando sentidos e dando significados ao que estamos vivendo. A impermanência é um dos fatores em que mais deveríamos nos ater na projeção de nossas condutas, no seguimento dos nossos passos, e no desapegar daquilo que muitas vezes torna o nosso psiquismo 'doente', com o aprisionamento de pensamentos negativos, levando a um mergulho constante em situações deprimentes. Somente quando nos damos conta das mudanças que se processam em ciclos, é que começamos a mudar nosso comportamento, a acolher atitudes que nos levarão para fora de um ciclo vicioso. Adquirida esta consciência a tendência é que a angústia de encarar a realidade vai aos poucos se desfazendo e somos novamente inseridos naquele contexto de mudar a maneira de pensar e aceitar a inconstância das coisas.
    Minha amiga, assim que li a tua postagem pude me transportar para muitas das reflexões aqui contidas, pois bem sabes por tudo que passei nos últimos tempos, onde mergulhei num estado em que tudo me parecia ser 'para sempre', a dor, a tristeza, o sofrimento, a decepção... Enfim, foi um período de intensa revolta, e de muitas preocupações com familiares e amigos. Aos poucos fui saindo daquele estado que me deixava à mercê de pensamentos totalmente negativos, até contrários aos meus princípios de espiritualidade. Acredito que Deus tenha me dado uma nova oportunidade de reerguer-me em definitivo, justamente num dos dias do ano em que a tristeza e a saudade mais se abatem sobre aqueles que perderam entes queridos. Assim foi comigo através de um sonho... Ainda não soube bem como decifrá-lo, e acho que nem importa a totalidade do seu significado, pois o que aconteceu depois, no real, me trouxe uma paz que há tempos não sentia, uma quietude na alma tão intensa que passei o dia todo como se Deus tivesse me dado a mão e saído a passear comigo pelos campos verdes floridos com suas bênçãos. Consegui até vislumbrar as estrelas, adquirindo assim a consciência exata de que passara por um ciclo e que deveria entrar num outro sabendo que as situações também estariam no processo da ‘impermanência’ existente no mundo, na mutabilidade oriunda da própria vida.
    Posso considerar, minha linda, que recebi um ‘milagre’ dentro do coração, em forma de uma bênção especial que o Pai me concedeu. Sinto-me leve, e agora eu sei que os sorrisos que doravante aflorarem não mais terão a marca da tristeza.
    Tu és a primeira pessoa com quem me abro assim, aqui na blogosfera, e também a primeira para quem vou deixar um sorriso e uma estrela, plenos com o meu carinho,
    Helena

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. Incrível! Acabei de comentar no blog da Suzete, http://opianoquetocapoesia-poemas.blogspot.com.br/2015/11/o-nada-apreciado.html#comment-form, vim pra cá prontamente, e logo após ler o texto, resolvi repetir, quase que na integra, o comentário que fiz lá, não por falta de imaginação ou comodismo, mas tão somente pela curiosa coincidência: "Essa inquietações também me fustigam, me tomam de assalto, meu eu em pedaços, dividido, espalhados pelo chão. Essas inquietações, um mal estar no mundo, uma inequação. Tantas perguntas, tanta ânsia de respostas, uma eterna insatisfação." Muito bom, Vera! Abraços!

    ResponderExcluir
  32. Correção: Onde digo "Inequação", quero dizer na verdade, "Inadequação".

    ResponderExcluir
  33. Oi Vera,
    Parece que sua postagem complementa a minha, só com uma diferença eu me apego muito aos meus amigos de trabalhos . Uma noite por semana nos juntamos para tomar sorvete. Nessa homem não entra, pois só sai....
    Beijos no coração
    Minicontista 2

    ResponderExcluir
  34. Viver é adaptar -se disse Euclides da cunha
    De impermanências e perenidades tb é a vida

    Gostei do texto
    Vim lá do blog da Nanda te visitar

    Bom dia pra vc
    Bj baiano

    ResponderExcluir
  35. Boa tarde Verinha!!
    Vou conversar com São Pedrinho e mandar um pouquinho de chuva pra vcs... aqui a situação está bem difícil, tem famílias que perderam tudo... agricultores que perderam toda plantação :( Não é só em SC... o vô do Evandro perdeu toda a plantação de uvas, muito triste...

    Quando não entro não entro no blog sinto saudades de vir te dar um "oi" <3

    Beijãoooooo, bom restinho de quinta!

    ResponderExcluir
  36. Hello Vera,
    What a very nice image. So great!!

    Sweet greetings,
    Marco

    ResponderExcluir
  37. Queridésima...
    Estou aqui degustando a beleza e a utilidade dessa mensagem. Vou guardá-la no fundo do coração, mas, deixarei a portinha aberta...
    Um beijo pleno de carinho, Vera!!!

    ResponderExcluir
  38. Vera, boa tarde querida amiga!
    Posso dizer que este é um dos melhores textos de todos os tempos: simples, verdadeiro e que simplifica de maneira genial a nossa existência aqui na terra!

    Estou encantada, como não poderia deixar de ser, com a sua sensibilidade em recolher tantas preciosidades. Saiba que é uma tarefa por demais difícil amiga, e você o faz om muita sabedoria!

    Este texto toca profundamente as pessoas. Me tocou lá no íntimo. Mostrou que aqui somos gotas de água ou grãos de areia.. Nada somos ao nascer e ao morrer... E nossa existência é pautada em nossas ações...
    Então que façamos o melhor que pudermos, pois a vida é um sopro, uma brisa que passa, um suspiro...
    Que saibamos aproveitar cada momento e a dádiva de estarmos vivos!! :)))))

    Incrível querida parabéns, mais uma vez!!
    Deixo um beijo e desejos de um restinho de semana maravilhoso..
    Esta foi mais curtinha, devido ao feriado, e passou rapidinha...hihihihihi
    Beijinhos!! ♥♥

    ResponderExcluir
  39. Vera, boa tarde querida amiga!
    Posso dizer que este é um dos melhores textos de todos os tempos: simples, verdadeiro e que simplifica de maneira genial a nossa existência aqui na terra!

    Estou encantada, como não poderia deixar de ser, com a sua sensibilidade em recolher tantas preciosidades. Saiba que é uma tarefa por demais difícil amiga, e você o faz om muita sabedoria!

    Este texto toca profundamente as pessoas. Me tocou lá no íntimo. Mostrou que aqui somos gotas de água ou grãos de areia.. Nada somos ao nascer e ao morrer... E nossa existência é pautada em nossas ações...
    Então que façamos o melhor que pudermos, pois a vida é um sopro, uma brisa que passa, um suspiro...
    Que saibamos aproveitar cada momento e a dádiva de estarmos vivos!! :)))))

    Incrível querida parabéns, mais uma vez!!
    Deixo um beijo e desejos de um restinho de semana maravilhoso..
    Esta foi mais curtinha, devido ao feriado, e passou rapidinha...hihihihihi
    Beijinhos!! ♥♥

    ResponderExcluir
  40. Olá Vera, excelente mensagem....
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  41. Tudo na vida é passageiro....
    Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  42. Que texto!!! A morte nivela tudo e todos! Então fico a pensar naqueles pixulecos que só trouxeram desgraça, vergonha e nada de positivo; é como se enterrassem todos vivos. A única certeza é que todos morreremos e nada levaremos. E pra que tantas mordomias, tanto luxo, tantas desavenças logo após o mortinho esfriar nos tão esperados inventários? Loucos pela partilha para verem o que toca a um e a outro! É de rir.
    Passamos a vida brigando com parentes, amigos, colegas e dobrando a esquina está lá ela nos esperando!
    Nada vale um incômodo. Belíssimo texto, Verinha. Ultimamente tenho pensado muito nessa finitude tão abreviada.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  43. Boa tarde Verinha linda!!
    Ontem pensei tanto em vc ao ver o noticiário... que tragédia aquela que aconteceu em Mariana :(

    E o calor, deu uma amenizada? Agora a tarde o sol tá querendo dar o ar da graça por aqui, mas já vi que não veio para ficar :(

    Que o seu final de semana seja lindo e abençoado, aproveite bastante!

    Beijão sua queridona

    ResponderExcluir
  44. Um texto de ideias sábias, para ler, reler e refletir.
    Muito bom.
    Tenha um bom fim de semana, querida amiga Vera.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  45. Quando percebemos nossa espiritualidade, compreendemos a impermanência que nos rodeia,e trabalhamos para praticar o desapego, cultivar e valorizar o que realmente importa.
    Um abraço, Sônia.

    ResponderExcluir
  46. Tenha um ótimo fim e semana, Vera. bjssss

    ResponderExcluir
  47. UN MENSAJE DE LUZ INTERIOR.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  48. Querida Vera.
    A esta excelente e sensata reflexão, chamo crescimento espiritual.
    Desde que a minha filha está na Tailândia comecei a interessar-me mais pela filosofia budista.
    Um estilo de vida que pode ser seguido por qualquer um, mesmo que seja praticante de uma religião e que nos da uma sensação de tranquilidade e comunhão com o que nos rodeia.
    Está ao nosso alcance atingir este estado de verdadeira espiritualidade, basta querer!

    Um beijinho e bom final de semana

    ResponderExcluir
  49. Querida amiga Vera

    Perdoe-me a ausência.
    Final de ano, para quem ensina
    o tempo fica curto,
    mas estamos sempre visitando
    espaços preciosos que nos fazem tão bem.

    Gostaria de convidá-la a visitar o meu blog
    www.sonhosdeumprofessor.blogspot.com
    onde postei uma entrevista que fiz recentemente
    e que está sendo vinculada na mídia de Fortaleza.

    É também uma forma de entender a forma
    que penso a Educação que acredito
    e a qual dedico a minha vida.

    Um imenso abraço.

    Aluísio Cavalcante Jr.

    ResponderExcluir
  50. Vera Lúcia , a brevidade da vida e nossa entrega no dia a dia são belamente descritas neste texto que nos presenteia . A imagem de pano de fundo é perfeita . Obrigada . Beijos

    ResponderExcluir
  51. Biutiful, kauniita kuvia, vai maalauksiako ? maalaat tai kuvaat maalauksia. Welkome my blog sanosekukkasin.blogspot.fi
    t.pike finland

    ResponderExcluir
  52. Oi, Verinha. Tudo bem?
    Sim, é um momento valioso para aprender nos encontrarmos no outro. Não é fácil...
    Grande abraço. Em divina amizade.
    Sonia guzzi

    ResponderExcluir
  53. Oi, Verinha. Tudo bem?
    Sim, é um momento valioso para aprender nos encontrarmos no outro. Não é fácil...
    Grande abraço. Em divina amizade.
    Sonia guzzi

    ResponderExcluir
  54. Minha linda, vim trazer-te um ramalhete de estrelas atadas com uma fita de sorrisos para enfeitar a tua semana. Até a próxima postagem, minha linda! Tem resposta pra ti, da Aninha, no meu espaço.
    Com carinho.

    ResponderExcluir

OBRIGADA PELA VISITA E COMENTÁRIO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...