Bloqueador de Selecao

segunda-feira, 25 de maio de 2015

SENSIBILIDADE




Passeando hoje pelo blog da minha irmã Marilene (http://umcanto-recantodaalma.blogspot.com.br/ reli um belo poema de sua autoria e não resisti à vontade de publicá-lo aqui, eis que foca uma realidade da qual estamos carentes e que precisamos resgatar para o bem da nossa própria sanidade. Embora com outro tema agendado para publicar hoje, tal poema olhou para mim e me pediu para ser mostrado  aqui (rs), embora alguns amigos comuns já tiveram a oportunidade de apreciá-lo. Ei-lo:


                                                           SENSIBILIDADE

                                               
                      Sinto falta de uma sonora gargalhada ...

                       Por que ninguém mais ri,
                       Despudoradamente,
                       Meneando a cabeça
                       Movendo o corpo
                       Abraçando a vida?
                       Só encontro meros sorrisos,
                       Na maioria contidos,
                       Como se mostrar alegria
                       Ainda que por instantes
                       Fosse proibido

                       Sinto falta de demonstrações reais de felicidade ...

                       Por que elas apenas aparecem,
                       Falsificadas,
                       Nas redes sociais?
                       Só encontro faces fechadas
                       Pessoas apressadas
                       Como se uma pequena pausa
                       Para olhar o céu,
                       Sem qualquer véu para se cobrir,
                       Fosse perda de um precioso tempo
                       Que, certamente,
                       O relógio desconhece

                       Sinto falta de mãos entrelaçadas ...

                       Por que o toque é dispensado,
                       Os braços caminham em abandono
                       As mãos se ocupam de coisas outras
                       Esquecendo o afeto
                       Que pelas ruas não se presencia?
                       Só encontro "ficantes" desinteressados,
                       Oportunistas sem real sentimento,
                       Para os quais até a troca de olhares
                       É cansativa e dispensável
                       Pois estão presos aos modernos dispositivos
                       De equivocada comunicação

                       Sinto falta da verdadeira emoção,
                       Aquela transparente nos mínimos gestos ...
                       Da cumplicidade espontânea
                       Do carinho que ignora outros olhares,
                       De gente que se mostra
                       De gente que sente
                       E não se envergonha
                       Ao demonstrá-lo pelos quatro cantos
                       Dos espaços por onde passa

                        Sinto falta da tão ausente
                        Naturalidade ...
                        Aquela que já guiou nossos passos
                        Em outra idade,
                        Do riso franco, encantado,
                        Da magia dos antigos enamorados
                        Que em sonhos traçavam planos
                        Sem preocupação com os anos
                        Ou com a realidade,
                        E capazes de amar até a saudade.

                        Talvez sinta falta, de verdade,
                        De todas as demonstrações
                        De sensibilidade ...
                        Por que se foram?
                        Por que se esconderam?
                        Com sua fuga, deixaram em seu lugar
                        Apenas carências,  insatisfações,
                        E um céu nublado,
                        A encobrir a luz dos corações


                                                       Marilene
                
            

73 comentários:

  1. Tinha que ser a primeira (rss). Fiquei imensamente feliz por encontrar minhas palavras em seu recanto, sempre voltado para postagens reflexivas, muito bem escolhidas. Honrou-me essa inclusão.
    Creio que todas as pessoas estão sentindo falta das demonstrações autênticas de sensibilidade, aquelas que não camuflam o afeto e se mostram, despudoradas e belas, como só elas sabem ser.. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. É maravilhoso esse poema! É verdade, muitas coisas boas e essenciais estão sendo esquecidas. Obrigada por partilhar essa pérola! bjsss Vera!

    ResponderExcluir
  3. Olá Vera ,
    Excelente Poema , e excelente chamada de atenção ...
    Parabéns à Marilene pela Sábia Criação , e Parabéns a vc Vera pela sua Sábia inclusão neste seu espaço .
    Um Abraço às duas :)
    Votos de uma Boa Semana :)
    Luis Sousa

    ResponderExcluir
  4. Bom dia

    Sem dúvida. um poema tão verdadeiro. amei de verdade.
    Beijo e uma excelente semana.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Um bonito poema que emana muita saudade.
    Foi uma boa escolha!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Verinha, fizeste muito bem em trazer pra cá esse lindo poema da Marilene! Muito bom e é carregado de verdades ! Linda semana, beijos às duas,chica

    ResponderExcluir
  7. Um belo poema da Marilene, carregado de saudades e chamando à atenção para a falta entre as pessoas duma autentica sensibilidade e verdade.
    Um abraço minha amiga e boa semana.

    ResponderExcluir
  8. Respostas
    1. E quem é você, que não consegui encontrar para retribuir a visita? rs.

      Excluir
  9. Bom dia Vera..
    temos de ter está sensibilidade diariamente em nossos momentos de vida..
    a poesia nos revela sempre..
    somos muitos os sensíveis e passamos isto adiante da melhor maneira.. bjs e lindo dia

    ResponderExcluir
  10. Que bacana! Não sabia que eram irmãs. Que família talentosa, meu Deus. Lindo poema... é verdade, as pessoas andam tristes, apressadas, estressadas... sorrir é tão bom, ameniza tanto a vida. Parabéns, manas.

    ResponderExcluir
  11. A sua irmã escreveu muito e super bem, eu não conhecia o blog dela, na verdade nem tinha conhecimento de você ter uma irmã, mas tenho que confessar que adorei, a serio mesmo muito.
    Esse pequeno (grande) poema fez-me refletir acerca de montes de coisas ao mesmo tempo.
    Beijos.
    http://mariacrescida.blogspot.pt/?m=1

    ResponderExcluir
  12. Muita gente anda sobrevivendo ao invés de viver, e a vida é tão curta que não permite ensaios.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  13. Um lindo poema da Marilene pleno de verdades. Realmente as pessoas estão esquecendo que podem ser felizes, buscando viver o hoje com mais alegria.
    Feliz semana....

    ResponderExcluir
  14. Olá Vera!
    Um maravilhoso poema da Marilene, e de facto não poderias ter escolhido melhor!
    Esplendorosamente poetizada a insatisfação sobre a verdadeira falta de afectos coerentes, direccionados e genuínos, em contraposição à ligação vincada aos novos meios de comunicação que acabaram por substituir o contacto olhos nos olhos, o carinho e a sensibilidade.
    Muito interessante essa expressão dos "ficantes" desinteressados. Aqueles que deixaram de sonhar e se contentam com a anulação dos sentimentos e da emoção.
    A Marilene é uma excelente poetisa, e até a sua prosa é sempre muito bela e poética. Dona de uma sensibilidade que comove!
    Boa semana, Vera Lúcia!
    xx

    ResponderExcluir
  15. Linda Vera, linda Marilene, irmãs que eu já sabia, descobri faz tempo, ambas são sensíveis a ponto de uma escrever e a outra assinar embaixo e eu amei ler, assim como todos por aqui, é uma pena que os sentimentos estão sendo camuflados com a modernidade, com o mostrar felicidade em redes sociais, que para mim muitas vezes são para causar invejas, o que não faltam são os invejosos!
    Que lamento verdadeiro esse, eu também lamento, amo rir gostosamente, amo compartilhar alegria autêntica, mesmo assim há os que duvidam disso, tão raramente vemos as manifestações de amor!
    A alegria é uma forma de demonstrar a nossa fé na Vida, até amar a Deus é em forma de alegria, de agradecimento!
    Abraços linda Vera!

    ResponderExcluir
  16. Sinal destes novos tempos em que vivemos... em que a superficialidade dos gestos... nos conduz a uma superficialidade do pensamento... e dos afectos...
    Feitos de pressa e superficialidade... estes nossos atribulados e conturbados tempos, em que vivemos...
    As palavras da Marilene... sempre assertivas e marcantes... nos dizem sempre tudo... com a sua habitual sensibilidade...
    Adorei este post, Vera!
    Beijos. Uma feliz semana!
    Ana

    ResponderExcluir
  17. Vale a pena, Vera! É realmente muito bom esse texto da Marilene, e republicá-lo é um presente para todos nós! Boa semana, obrigado.

    ResponderExcluir
  18. Tb sinto falta da naturalidade... de pessoas de verdade!! Me faço essas perguntas diariamente... Por que e para onde foram?...

    Sua irmã escreve maravilhosamente bem Verinha. Parabéns para Marilene e para vc que tem uma irmã com o coração tão lindo!!

    Fico feliz em saber que as tonturas se foram! Torcendo muito para que elas não voltem!!

    Uma linda semana pra vc Verinha!

    Beijão

    ResponderExcluir
  19. Hello Vera,
    very beautiful poem.
    Wishing you a wonderful week.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
  20. Esse poema bem que mereceu vir para o seu espaço, Vera Lúcia.
    Magnífico, amei, parabéns Marilene!
    Beijos, doce amiga!

    ResponderExcluir
  21. Oi Vera, retornei...Quem é vivo sempre aparece não é? rsrs
    Pois é, depois de algumas turbulências, já resolvidas a contento, voltei ao convívio dos amigos...
    E te digo, nossa, como faz falta ao coração essa interação! ♥

    E veja só que incrível!! Hoje ainda tive o prazer de chegar aqui e encontrar um poema magnífico de sua irmã Marilene, que sempre nos emociona e encanta com palavras tão belas, que trazem conforto para a nossa alma e ainda retrata a realidade da vida!

    Fiquei estupefata com a maneira dela de abstrair as palavras, de colocar de uma forma tão envolvente um tema que a gente precisa melhorar, pois encarar a vida com um sorriso é fundamental. Todos se esqueceram disto...Gargalhar é essencial, é VIDA!!!!

    Maravilhosa postagem, está repleta de perfume, de flores...
    Adorei estar aqui contigo amiga.. ai que saudades!!!
    Beijos, muitos e uma semana incrivelmente maravilhosa! ♥

    ResponderExcluir
  22. Agradeço as palavras de estímulo e de carinho formuladas a propósito de meus versos. São manifestações que fazem bem demais a quem gosta de desenhar pensamentos com letras. Grande abraço para todos.

    ResponderExcluir
  23. Oi Verinha
    Tenho lido poemas da Marilene e esse ainda não conhecia_ que bom ter resgatado aqui .
    Podemos repetir inúmeras vezes e terá sempre algo novo pra gente refletir e buscar.
    Obrigada as duas.
    abraço grande

    ResponderExcluir
  24. Oi Vera,
    Palavras verdadeiras e apropriadas para os
    dias atuais.
    Coisas como sensibilidade e sutileza,
    estão escassas, infelizmente...
    E fazem tanta falta.
    Muito bonito e tocante o poema da Marilene!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  25. Verinha, prometo pesquisar penteados para cabelos curtos para vc <3 <3 Adoro sugestões ;)

    Grande beijo, boa tarde!

    ResponderExcluir
  26. Oi, Vera Lúcia...poema em que se lastima do que se tem mais falta...do sonho sonhado, do amor sincero e da amizade sem interesse material, da postura natural e verdadeira sem querer parecer o que não se é...tudo artificial e mascarado numa sociedade que se corrói e se consome por dentro. Por isso as almas se entristecem e vazio preenche aquilo que deveria ser preenchido com a gargalhada verdadeira da alegria verdadeira.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  27. Eu já havia lido, Vera. E é lindo. Vc e Marilene escrevem brilhantemente. Sempre é um prazer ler. Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  28. UN TEXTO PARA LA REFLEXIÓN!!!! GRACIAS POR COMPARTIRLO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  29. A naturalidade e simplicidade são caminhos para a felicidade.
    Parabéns pela escolha e Parabéns á Marilene.


    Beijos a ambas


    SOL

    ResponderExcluir
  30. Olá Vera,
    Passando para deixar um Abraço :)
    Luis Sousa

    ResponderExcluir
  31. Olá Vera, belo poema...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  32. Olá Vera, belo poema...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  33. Hello Vera,
    Funny image of this cute little boy.
    So nice with his clothes and his naughty face.

    Big kiss and many greetings,
    Marco

    ResponderExcluir
  34. Verinha, nunca li nada de sua irmã que não fosse verdadeiro e belo! Esse poema é quase uma súplica por amor, por carinho, por afeto, por tolerância e por transparência que está em falta nesse mundinho que não sei onde vai parar.
    Parabéns pela sua sensibilidade em trazê-lo pra seu blog!
    Beijo as duas manas, tão especiais.

    ResponderExcluir
  35. A Marilene poetou exatamente o que sentimos, querida Vera Lucia, também sinto muita falta destas gargalhadas que vem lá de dentro o ser, eu não perdi este encanto, graças a Deus. mas tantos já nem ouvem mais o som de suas gargalhadas.
    Que pena, que dó.
    Um abraço gargalhante querida amiga e tudo sempre de alegre em seu viver e muitas gargalhadas pelo caminho.

    ResponderExcluir
  36. Hello Vera,
    I wish you a nice weekend.
    Greetings and hugs.

    ResponderExcluir
  37. Oi Vera como vai?

    Diante da velocidade de tudo o que nos rodeia, é quase que, proibido ser feliz. A lógica é produzir, gerar lucros... Felicidade não é negócio, portanto não dá lucro e passa a ser cada vez mais descartada.
    Abraços

    ResponderExcluir
  38. Boa noite, Vera. Um poema muito coerente este da Marilene.
    A ausência de sensibilidade nos dias de hoje faz com que nos distanciemos mais e mais das pessoas.
    Como é boa a sensação da troca que vem da alma entregue, ausência de superficialidade, a que estamos acostumados a ver.
    A verdadeira comunicação é a que nos une em emoção, ainda que estejamos geograficamente longe.
    Tudo começa, se intensifica em nós.
    Parabéns pela escolha.
    Beijos na alma das duas.

    ResponderExcluir
  39. Boa noite, Vera. Um poema muito coerente este da Marilene.
    A ausência de sensibilidade nos dias de hoje faz com que nos distanciemos mais e mais das pessoas.
    Como é boa a sensação da troca que vem da alma entregue, ausência de superficialidade, a que estamos acostumados a ver.
    A verdadeira comunicação é a que nos une em emoção, ainda que estejamos geograficamente longe.
    Tudo começa, se intensifica em nós.
    Parabéns pela escolha.
    Beijos na alma das duas.

    ResponderExcluir
  40. Tenha um ótimo fim de semana, Vera. bjssss

    ResponderExcluir
  41. Olá, Vera Lúcia!

    Que surpresa boa fez pra sua irmã, Marilene! Creio que, talvez, ela não soubesse das suas intenções, previamente, e assim, você conseguiu lhe dar um "presente", mais que fraterno, para além de mostrar a todos/as nós o que por ela sente, esse amor sincero e essa admiração tão bonita, que quis mostrar e compartilhar com todos/as nós. Dei uma olhada pelos blogues dela, e, de facto, a sua atitude ficou longe de demonstrar tudo aquilo que ela faz e que é, ainda, capaz de fazer.

    O poema da Marilene está, excelentemente, bem construído, e aquele verso "solto", que surge, de quando em vez, lhe dá "textura" e relevância, bem ao jeito de quem, realmente, sabe o que escreve.

    A falta de sensibilidade e de muitos outros predicados, de que "fala" sua mana, infelizmente, existe(m) mesmo nesse mundo desprovido e adulterado, um pouco, por todos nós. assim, se compreende, lindamente, o "grito" da poetisa.

    É um reflexivo e agradável texto poético, que apetece ler e reler, é, por assim dizer, como/uma pequena "bíblia", onde podemos "beber", entender as intenções da sua "criadora", fazer parte do "projeto", dando nossas mãos para que as coisas mais simples possam, efetivamente, acontecer, construindo, todos nós um mundo mais salutar.

    Tenha um bom de semana.

    Beijos e abraços, minha querida!

    ResponderExcluir
  42. Estamos numa era mais tecnológica, mais rápida, mais apressada que acaba infelizmente, por levar muitas vezes a ficar em segundo plano, o nosso lado mais humano.
    Excelente escolha, parabéns a si e à Marlene.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  43. Amiga Vera, o premente poema que escolheu da sua irmã e minha amiga Marilene, toca um ponto muito sensível da actual relação humana.
    Está-se a perder a verdade e a espontaneidade principalmente nas mais jovens gerações.
    Tudo tem que ser imediato e tudo se gasta depressa demais.

    Amiga, estou sim mais conformada e tentando minorar o sofrimento da minha mãe. Obrigada!

    Um beijinho e bom fim de semana

    ResponderExcluir

  44. ✿ه° ·. Lindo demais!!!
    Mais triste é pensar que um sorriso franco e um gesto de afeto não custa nada!...
    Tenha um maravilhoso domingo!
    Beijinhos.

    ˚ه❀❀ミ
    ✿ه° ·.

    ResponderExcluir
  45. É bem por ai Verinha, sábias palavras
    e vemos hj a maioria no celular....
    Cade os sorrisos????

    Bom domingo e um começo de semana
    cheinho de muita paz
    Abraços com carinho!

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  46. Uma escolha primorosa, excelência sensível dedilhada com ressonância em cada verso declarado, típico da querida Mari, poetisa inconteste a nos brindar com pungentes criações.Uno-me aos sentimentos lavrados.
    "Sinto falta..."

    Abraços Verinha,
    Calu

    ResponderExcluir
  47. oh, também sinto faltaaaaaaaa ! Obrigada por compartilhar este magnífico poema: lindo mesmo.
    Tenha uma semana abençoada. Bjs

    ResponderExcluir
  48. É verdade, o mundo está carente de sorrisos. Vemos pessoas mal humoradas, tristes e na maioria das vezes irritadas. Para essas pessoas, se tivermos a oportunidade vamos sorrir para elas e não sorrir delas.

    Bj

    ResponderExcluir
  49. Oi Vera!

    Um poema admirável cheio de veracidades. A verdadeira sensibilidade esta sumindo entre as pessoas...
    A Marilene tem uma familiaridade incrível com a escrita, uma sensibilidade e uma inteligência que escorrem nas palavras. Uma excelente escritora.
    Uma ótima semana Vera!
    Um ótimo mês
    Um abraço, e um sorriso!
    Blog da Smareis

    ResponderExcluir
  50. Vera Lúcia , fiquei encantada com a sensibilidade de sua irmã manifestada no poema .
    Agradeço a partilha .
    Beijos e boa semana .

    ResponderExcluir
  51. Oi Vera,
    Está tudo bem com vc ??
    Estou vendo sua ausência por aqui há algum tempo , espero que esteja tudo ok consigo :)
    Boa Semana !
    Abraço
    Luis Sousa

    ResponderExcluir
  52. Boa semana, Vera! Aguardo o próximo post, amiga.

    ResponderExcluir
  53. Boa tarde Verinha!!
    Como vc está? Fiquei ausente pq viajei à trabalho e foi uma loucura, por isso não consegui nem olhar o blog!
    Mas estou bem... <3

    Um beijo bem grande e muito obrigada pelo carinho e pela preocupação!
    Semana linda e abençoada pra vc!

    ResponderExcluir
  54. Vivemos outros tempos...com a expansão da tecnologia e do conhecimento que ofereceram facilidades para o bem estar do ser humano.
    Parece que houve um efeito contrário,acordamos na segunda e voltamos a dormir na sexta.Os dias ficaram pequenos.Vivemos isolados,inseguros e sob a égide das preocupações.

    Eu e os meus ,somos muitos e uma constelação de amigos nos envolvem e quando cai no marasmo,meu velho pai pega a Sonelli 120 baixos que é mais velha que ele,quando não convida o compadre e seu grupo de sanfoneiros e cantores

    Eu não conheço,mas odeio esse Zap Zap (ocupou o lugar das relações presenciais) e sou resistente as redes sociais,mas elas desenvolvem um extraordinário papel de transformação e edificação
    Vocês que postam e escrevem ,pela sensibilidade ,tem grandes responsabilidades pela continuidade,...o Google é o guia espiritual que direciona muitos que tem fome e sede as receitas para preencherem seus momentos difíceis e indivisíveis.
    Os blogueiros tornaram-se fundamentais neste processo

    Veneráveis sinhás irmãzinhas, das mais sabidas que tive o privilégio de interagir,
    abraços fortes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tutankamon,

      Nada substitui a riqueza das relações presenciais, que estão mesmo bem abaladas em virtude dos atuais recursos tecnológicos. Estes chegaram para facilitar a comunicação, mas acabaram afastando as pessoas do prazeroso contato 'face a face'. Contudo, não há que se negar a magia do mundo virtual. O equilíbrio seria preponderante, pois perde-se vida no mergulho descontrolado nas redes sociais. Inconteste, também, os benefícios para quem se utiliza da rede como 'guia espiritual', conforme palavras suas, pois há muita gente buscando luz e força através de textos reflexivos. Ainda bem que há bons sites e blogs a respeito. De certa forma, suas palavras me incentivaram a continuar, pois de vez em quando tenho sido acometida de vontade de pausar o blog.
      Ter uma família numerosa e muitos amigos afasta qualquer possibilidade de monotonia; ainda mais com um pai tão animado.
      Obrigada pelas palavras de carinho dirigidas a mim e à minha mana.
      Gosto muito de sua presença por aqui.

      Grande abraço.

      Excluir
  55. Que bom, ou o de melhor é passear pelos Blogs delas, as irmãs, irmãs até da sensibilidade. Abraço de obrigado, Vera Lúcia.

    ResponderExcluir
  56. Que poema tão bonito! É importante ter sempre presente esta mensagem, mas mais do que esperar isso dos outros, devemos começar por nós e abrir o nosso coração às emoções. Se o fizemos, tenho a certeza que vamos contagiar os outros, desencadeando neles o mesmo processo.
    Um beijinho

    ResponderExcluir
  57. Um belissimo poema Verinha!... Passarei pelo blogue da Marilene!...
    Na verdade, hoje vivemos tão apressadamente, tão envolvidos com as crescentes preocupações do dia a dia, que o tempo nos falta para tantas coisas importantes!...

    Um beijo, querida!
    AL

    ResponderExcluir
  58. Olá, Lúcia.

    Belíssimo menear poético da vida. A Marilene, que tem "mar" no nome, sabe navegar esplendorosamente bem em forma de poesia. Eu a admiro muito.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  59. Lindo poema, muitas vezes estamos tão preocupados em dar conta das tarefas variadas que esquecemos da espontaneidade e coisas simples da vida.
    Abraços

    ResponderExcluir
  60. Olá, Visitei e adorei o seu blog. Gostei muito dos seus textos e li vários trechos da sua exposição e conteúdo. . Fiquei bem animada e daqui pra frente, estarei sempre por perto vendo as novidades.
    Venha conhecer o meu Blog também. Tenho certeza que vai gostar http://www.oslivrosdaminhabiblioteca.blogspot.com.br/
    Um grande abraço. NILDA
    Que linda poesia !!

    ResponderExcluir
  61. Olá, Visitei e adorei o seu blog. Gostei muito dos seus textos e li vários trechos da sua exposição e conteúdo. . Fiquei bem animada e daqui pra frente, estarei sempre por perto vendo as novidades.
    Venha conhecer o meu Blog também. Tenho certeza que vai gostar http://www.oslivrosdaminhabiblioteca.blogspot.com.br/
    Um grande abraço. NILDA
    Que linda poesia !!

    ResponderExcluir
  62. Olá, queridas Vera e Marilene
    Que beleza de poema, tão verdadeiro!!!
    Sensibilidade para perceber tantas faltas que temos de inúmeras coisas importantes que vamos deixando de lado em prol de outras...
    Bom meditar por aqui, parar e respirar melhor...
    Bjm fraternal às duas

    ResponderExcluir
  63. Olá, queridas Vera e Marilene
    Que beleza de poema, tão verdadeiro!!!
    Sensibilidade para perceber tantas faltas que temos de inúmeras coisas importantes que vamos deixando de lado em prol de outras...
    Bom meditar por aqui, parar e respirar melhor...
    Bjm fraternal às duas

    ResponderExcluir
  64. Que bom ler aqui também os poemas de sua irmã Marilene. Uma grande escritora que aborda com poesia e sensibilidade variados temas como nesse em que fala da ausência de sorrisos e portanto da ausência de vida. E é tão verdadeiro tudo o que li. Também sinto falta dessa alegria contagiante, de sorrisos sinceros e das gargalhadas que brotam da alma. Belíssimo!! Um grande abraço a você Vera e parabéns a Marilene.
    Quero agradecer ao carinho que vocês duas deixaram lá no blog. a respeito da saúde de minha mãe. Graças a Deus ela se encontra bem. B.js.

    ResponderExcluir
  65. Que bom ler aqui também os poemas de sua irmã Marilene. Uma grande escritora que aborda com poesia e sensibilidade variados temas como nesse em que fala da ausência de sorrisos e portanto da ausência de vida. E é tão verdadeiro tudo o que li. Também sinto falta dessa alegria contagiante, de sorrisos sinceros e das gargalhadas que brotam da alma. Belíssimo!! Um grande abraço a você Vera e parabéns a Marilene.
    Quero agradecer ao carinho que vocês duas deixaram lá no blog. a respeito da saúde de minha mãe. Graças a Deus ela se encontra bem. B.js.

    ResponderExcluir
  66. Olá, Kilida,Good Night
    e fez muito bem, escolher o escrito da sua mana, Marilene, parabéns às duas...muito lindo, realmente e uma bela reflexão...nesse mundo , com vida corrida , agitada, tecnológica e de aparência, hoje em dia, não tomamos consciência da falta de percepção maior das sutilezas e detalhes que dificultam o nosso olhar e o entender melhor o outro, estamos perdendo a capacidade de se emocionar com o mundo e com as pessoas e começam a surgir medos, inseguranças e ( falsas e altas) expectativas ,que nos deixa refém do que acontece externamente, querendo aparentar aquilo que não somos, tantas as demonstrações não reais de felicidade e a não espontaneidade...
    Feliz Noite do Dia, agradeço pelo carinho,belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  67. Blogging is the new poetry. I find it wonderful and amazing in many ways.

    ResponderExcluir
  68. Parabéns as duas lindas postagens Fiquei fã!

    bjss

    ResponderExcluir

OBRIGADA PELA VISITA E COMENTÁRIO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...